Páginas

sábado, 28 de dezembro de 2013

Metas Literárias

Oie gente! Então finalzinho de ano, muito chocolate, muita alegria, muitas simpatias e principalmente muitas metas!
Então hoje eu decidi fazer o seguinte: vou indicar alguns blogs para escreverem as metas literárias deles para o ano que se aproxima e, quem quiser participar também pode ficar a vontade para comentar ;)
São cinco livros que você quer comprar e cinco livros que você quer ler.

Minhas metas

Vou ler:
* Saga Harry Potter  - Sou muito fã dos filmes mas nunca li todos os livros da série ):
* A Elite - Kiera Cass
* Anjo mecânico
* O Hobbit - J.R.R. Tolkien
* Sussurro - Becca Fitzpatric
Vou comprar:
* As crônicas de Nárnia
* O mundo de Sofia
* A menina que roubava livros
* Razão e Sensibilidade
* Orgulho e Preconceito - Jane Austen

Blogs indicados:
*Um viciado em livros


Espero que as metas de vocês se realizem e as minhas também rsrs! 

Série Fallen


Comecei a ler a série início do ano, e acabei só agora em dezembro mesmo. Gostei muito, apesar de já ter presenciado pessoas falando mal dos livros. Achei muito romântico e fiquei apaixonada pelo Daniel rsrs. 
Li os três primeiros livros através de um empréstimo da prima da minha melhor amiga, e, acabei comprando o último (Êxtase). Agora desejo ter os outros, mesmo já tendo lido. :)



Fallen 
O amor nunca morre.
"Ela levantou os olhos para Daniel. Suas cores pareciam brilhantes também. Sua pele era dourada e, sob a luz, os olhos eram quase como a chuva. Luce observou - sentindo um misto de confusão e vergonha, e uma tentação maior ainda  - enquanto Daniel subia a margem de volta. Um raio de sol passou pelas árvores e envolveu sua silhueta com um brilho radiante. Como a água cintilava sobre a luz do sol, quase parecia que Daniel tinha asas."

Luce não entendeu o que aconteceu naquela noite. Só se recorda das sombras e do fogo. Ela tinha quase toda a certeza que não tinha nada a ver com a morte do garoto. Quase.
Culpada pelo crime, ela foi obrigada a estudar na , uma escolha horrível para jovens que estavam passando pela reabilitação.
Foi assim que ela conheceu Daniel, e apesar dele se mostrar distante, Luce tinha o  pressentimento que já o conhecia.
Suas melhores amigas eram Penn, filha do zelador, que infelizmente já havia falecido e , .
Também ficou "amiga" de Cam, um rapaz charmoso, de olhos verdes e, enfim... praticamente perfeito.
Seu coração, apesar de todas as propostas e ações de Cam, era de Daniel, apesar de toda a indiferença. O coração de Luce pertencia a  ele.
Uma história repleta de suspense, romance e emoções, mostrara que talvez exista um jeito do amor verdadeiro vencer uma maldição de algo extremamente forte e poderoso.
Visões, sombras, acidentes, mortes, tudo começa a fazer Luce se questionar:
Quem é Daniel?
E, quem é ela própria?


Tormenta
"Eu tenho que ir", ele disse por fim, levantando-se. "Eu não deveria estar aqui, mas não consigo ficar longe de você. Eu me preocupo com você em todos os momentos de vigília. Eu amo você, Luce. Tanto que dói.
" Ela não estava com frio nem com medo. Sentia-se livre de tudo o que atormentava na Terra. Livre do perigo. Livre de qualquer dor que já sentira. Livre da gravidade. E tão apaixonada. Os lábios de Daniel traçaram uma linha de beijos até o lado do seu pescoço. Ele apertou os braços em volta da cintura dela e virou-se para que o encarasse. Seus pés estavam acima dos dele, como quando dançaram sobre o oceano na festa da fogueira. Não ventava mais, o ar em torno deles era silencioso e calmo. Os únicos sons eram as asas de Daniel batendo enquanto eles pairavam no céu, e o das batidas de seu coração."

Tudo pode ser diferente.
Depois de descobrir que talvez a maldição possa acabar, Daniel fará de tudo para ficar junto de Luce. Ele sabe que uma batalha será travada e leva Luce para uma escola de Nefilins. 
Lá ela faz novos amigos: , descobre mais sobre Daniel, e começa a pensar: aquele sentimento é verdadeiro ou é apenas algo da maldição?
Para descobrir essa resposta ela vai por em risco sua própria vida e acabará tomando uma decisão que ou a destruirá ou ajudara a acabar, enfim, com essa maldição.

Ele a encontraria?
Sem dúvida.
Ele a salvaria?
Sempre.

Paixão
É verdadeiro, o nosso amor nunca morre.
"Luce morreria por Daniel. E morreu. De novo e de novo. Ao longo do tempo, Luce e Daniel se encontraram somente para serem dolorosamente separados: Luce morta, Daniel deixado machucado e sozinho. Mas talvez não precise ser dessa maneira... Luce está certa que algo - ou alguém - em uma vida passada pode ajudá-la em sua vida presente. Então ela começa a jornada mais importante desta vida... voltando eternidades para presenciar em primeira mão seus romances com Daniel...e finalmente descobrir o segredo para fazer seu amor durar. Cam e a legião de anjos e Exilados estão desesperados para pegar Luce, mas nenhum deles está tão agitado quanto Daniel. Ele vai atrás de Luce através de seus passados em comum, com medo do que pode acontecer se ela reescrever a história. Porque então seu romance corre o risco de acabar... para sempre."

Levada por questões envolvendo seu amor por Daniel e a maldição que pairava entre os dois, Luce decide entrar em um Anunciador (as sombras que a perseguem) e viajar pelo seu passado.
Ela faz descobertas muito importantes que mostram para ela que o amor de Daniel é muito forte e precioso. Ela vê que cada vez que ela se transforma em cinzas, Daniel se corrói em dor e tem vontade de se matar.
Assim, levada pelas emoções e dor de ver Daniel sofrendo cada vez que ele a perde, no final dessas histórias Luce tomará uma decisão: ou ela libertará Daniel e ela desse ciclo amaldiçoado, destruindo sua alma, ou se preparar para a batalha final.

Êxtase
- Que você sempre irá me encontrar.
- Sim. Sempre. Não importa o que aconteça.
-Daniel...(...) Amo você demais para dizer adeus.
-Isso não é um adeus. É até breve. Até nos encontrarmos novamente.

"Não, não é verdade - ela o reconheceu, sabia quem era.
Muito antes Lucinda havia amado esse anjo.
Mas ele não era Daniel.
Sem saber por quê, Luce desejou se afastar de tal lembrança, fingir que não  a vira, pisar de volta e ficar com Daniel nas planícies rochosas de Tróia. Porém, sua alma soldou-se à cena. Não era capaz de se afastar daquele anjo que não era Daniel.
Ele estendeu a mão para Lucinda. As asas se entrelaçaram. Ele sussurrou ao ouvido dela:
-Nosso amor é infinito. Não pode existir mais nada.
Não."

A tão esperada batalha dos anjos e demônios finalmente se aproxima, e Luce se sente mais próxima de quebrar a maldição do que nunca. Agora ela tem certeza do amor de Daniel e está disposta a tudo para poder viver ao seu lado depois de todos aqueles séculos de dor.
Mas essa batalha é algo muito mais amplo do que Luce pensa.
Depois de, com Daniel e outros anjos, ter recuperado todos os itens, ela se vê diante de escolhas e percebe a verdade de tudo aquilo e finalmente descobre quem ela realmente é.
Luce não é somente a garota destinada a se apaixonar por Daniel.
Ela é muito mais que isso.
E, ao se dar conta disso, ela tem finalmente uma chance de viver ao lado do seu verdadeiro amor.


Curiosidade: Parece que a Disney vai lançar o filme dessa série ano que vem! Vamos torcer para que o filme seja tão bom quanto a série.
As gravações vão começar dia 04 de março. #superanimada :)

sábado, 21 de dezembro de 2013

Destrua este Diário

Oi gente! Então,eu vi esse livro a venda e pedi para minha mãe de Natal e, foi mais ou menos o seguinte:


-Mãe, olha aqui o livro que eu te falei. Eu vi sobre ele no facebook, lembra? Eu queria esse.
-É sobre o que mesmo?
- Ha mãe! É muito divertido! (eu tentando mudar de assunto)
- Mas - folheando o livro - não tem história...
Vendedora muito 'gente boa': É que você tem que destruir ele!
- Você está falando sério^?
(eu fazendo carinha de por favorzinho)
- Eu não vou comprar um livro de R$26,00 para você estragar. Quer estragar um livro, estraga o seu diário mesmo!
Ótimo! Então apesar de ter ficado triste e tal, eu vou fazer os passos desse livro no meu próprio diário!
Eu vou postar os passos para vocês depois, okay?
(vou ver se eu faço um vídeo, o que acham?) 
#muitoanimada!!


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Resenha: Cidade dos Ossos


Clary é uma adolescente normal, que mora com sua mãe pintora e convive com Luke, que tem sido como um pai para ela. Ela também tem um melhor amigo, o Simon e leva uma vida normal, tirando o fato de que desenha automaticamente um símbolo do qual ela nunca tinha visto antes. 
Tudo certo, não é?
Errado. Clary estava longe de ser normal.
Tudo começa a fazer sentido, ou melhor, a não fazer, após um "assassinato" que ela presenciou em uma boate. O problema é que, de alguma forma, somente ela viu o que aconteceu.
Depois disso, coisas estranhas começam a acontecer: sua mãe é sequestrada e sua casa destruída, ela descobre que o mundo está repleto de demônios e que existe os Caçadores de Demônios, que, bem, caçam os demônios.
Sua mãe ser sequestrada e ela própria ter matado um demônio, fez com que Clary se unisse a Jace, Isabelle e Alec (Caçadores de Sombras), para resgata-la. Mas com o passar do tempo, Clary percebe que isso não envolve somente sua mãe ou ela, mas todos.  
Um livro realmente emocionante, repleto de aventuras e surpresas, com uma pitada de romance e 'comédia'.
Não há nenhuma pessoa que eu conheça que não tenha gostado da história.
Eu particularmente amei, mesmo que, graças aos meus amigos, li sabendo de alguns spoilers rsrsrs



Resenha: Dezessete Luas

Eu estava devendo algumas resenhas aqui no blog, pois antes desse mês as provas estavam acabando comigo e eu só tinha tempo de postar coisas mais simples.
Então para começar vou falar sobre o livro Dezessete Luas que eu li mês passado '-'. 
Sim, Dezessete Luas é a continuação de Dezesseis Luas, mas eu não poderia fazer a resenha do mesmo, simplesmente porquê eu não li Dezesseis Luas. Ha! 
Pois é, o que aconteceu foi o seguinte: eu assisti ao filme e gostei tanto e, fiquei tão vidrada para descobrir o que aconteceria depois que acabei comprando a continuação. 
Obs.: Não recomendo isso, pois como eu já deveria saber, o filme deixou vários detalhes do livro de lado e, quando eu fui ler o segundo volume eu fiquei tipo "hã?" "o que" "ele tinha morrido?"


"Depois do ano passado, eu achava que nada poderia ficar pior. Uma descoberta terrível, uma morte trágica... Mas pelo menos eu tinha Lena. Ela era a última pessoa com quem eu falava ante de dormir e a primeira ao acordar. Lena era mais do que minha namorada, ela era parte de mim.
Porém, desde o início do ano ela começou a se afastar mais e mais. Era estranho, e eu não conseguia entender porquê. No princípio, achei que fosse somente tristeza pela morte do tio, mas ela parecia se culpar de um jeito extremo e... seria impressão minha ou ela culpava a mim também?
Lena não era mais Lena. Pelo menos, não mais a minha Lena. Andando com Ridley - e se vestindo e agindo igual a ela-, pulando em garupas de motoqueiros misteriosos, me rejeitando, indo a festas de Conjuradores das Trevas...
Será que ela havia finalmente escolhido um lado?"

O livro de Margaret Stohl e Kami Garcia, narra o amor entre um mortal e uma Conjuradora.
De acordo com a história, um Conjurado, aos dezesseis anos, de acordo com sua natureza, seria conjurado ou para as Trevas ou para a Luz.
Lena, é tão poderosa, que conseguiu adiar esse conjuro para seus dezessete anos. Pois, se apaixonou por Ethan. Esse foi o maior problema, pois, uma maldição pairava sobre os dois, assim como o destino de ficarem juntos. Se ela se apaixonasse por um mortal, seria conjurada para o lado das Trevas e nunca poderia ficar junto de seu amado, além de que todos os Conjuradores da Luz desapareceriam.
Nesse livro, Lena sofre a perda de seu tio. E, começa a tratar Ethan e as demais pessoas que a rodeiam de uma maneira totalmente fria. Ethan, a principio, pensa que é apenas a dor pela perda de seu tio, mas com o passar do tempo, percebe que talvez Lena já tenha feito sua escolha, apesar de tudo que passaram juntos.
Uma mistura de sentimentos gira nessa história:
 dor, amor, ciúmes, traições, descobertas e surpresas prenderam você a cada página. 
E você vai ficar se questionando: O amor verdadeiro é mais forte que uma maldição de séculos?
Sinceramente, acho uma boa escolha de leitura, pois apesar de algumas vezes as pessoas acharem cansativo tantos livros para só uma questão, cada volume têm personagens, descobertas e sentimentos diferentes. Cada história é única. E é isso uma das coisas que eu mais gosto da série Beautiful Creatures.





terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Resenha: O Morro dos Ventos Uivantes


Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. "Meu amor por Heathcliff  é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff" diz a apaixonada Cathy. O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais surpreendentes de todos os tempos, O Morro dos Ventos Uivantesé um clássico da literatura inglesa e tornou-se o livro favorito de milhares de pessoas.

Como vários livros que eu li, esse foi pego na biblioteca por mim há uns dois anos atrás. Eu fiquei encantada pela capa e resolvi levar. Entretanto quando comecei a leitura parei, pois naquela eu tinha ficado com preguiça do inicio (eu devia ter uns 12 anos).
Já ano passado, eu vi o livro de novo, fiquei curiosa e decidi ler para valer. Resultado: reli mais duas vezes e acabei comprando. Eu gostei muito da história e hoje é um dos meus livros preferidos.
Esse romance conta a história de Catherine e Heathcliff, que são amigos desde criança, o pai da Cathy trouxe o Heathcliff com ele após uma viagem, e os dois sempre aprontavam juntos. Um dia, foram espiar a fazenda vizinha dos Linton e acabaram pegos. A Cathy acabou sendo obrigada a ficar para aprender a se comportar como uma dama enquanto Heathcliff  passou esses anos sozinho.
Ao retornar Cathy está totalmente mudada. Heathcliff fica desesperado com a mudança, pois percebe que sente algo mais por ela do que apenas amizade, e para tentar ficar com ela, tenta se transformar em um cavalheiro.
Cathy, entretanto, confessa que ama Heathcliff, mas que eles nunca poderiam ficar juntos pois não teriam dinheiro para se sustentarem. Ela aceita se casar, dessa forma, com Edgar Linton.
Com sentimentos de raiva e vingança, Heathcliff vai embora da fazenda e ao retornar, está mais que rico.
Cathy, no entanto, depois dessa partida enlouquece e fica muito doente (todas suas vontades teriam de ser feitas), mas, ao acabar se encontrando com seu amado, já delirando, morre em seus braços.
Cegado de rancor, Heathcliff vai enlouquecendo aos poucos também e só encontra forças para sobreviver com uma ideia fixa de vingança.
O final é surpreendente, (você nunca imaginaria que aconteceria algo assim no meio do livro), e certamente é um dos melhores livros da literatura.





Frases: A Esperança


Fecho bem os olhos e tento alcançá-lo em meio às centenas e centenas de quilômetros para fazer com que meus pensamentos penetrem na mente dele, para informá-lo de que não está sozinho. Mas ele está. E não tenho como ajudá-lo.

Peeta: Eu nunca deveria ter deixado que nos separassem!

                                                        Caesar: E o que diz o seu coração?                                                            Peeta: Que não deveria ter confiado nele. Isso é tudo.

Quanto tempo faz? Oito meses? Nove? Quanto tempo, desde que tivemos essa liberdade pela última vez? Não é exatamente a mesma coisa. Mas é o mais próximo da felicidade que imagino poder conseguir chegar às atuais circunstâncias.

Em outras palavras, se eu sair da linha, estamos todos mortos.

Sei que ele só falou aquilo por se preocupar comigo, mas eu realmente preciso que ele fique do meu lado, não do lado de Coin. Como é possível que ele não saiba disso?
             
Não há sentido em tentar ditar o que Gale deve pensar. O que, para ser honesta, é uma das razões de eu confiar nele.

Ou eles vão te matar ou te beijar, ou ser você. – Finnick

Afasto de mim o pensamento porque é exageradamente doloroso remoê-lo sem perder inteiramente os frágeis sustentáculos que mantêm minha sanidade sob controle.

Poder. Tenho uma espécie de poder que jamais soube que possuía.

O que foi que fiz no passado? Penso na trilha de destruição atrás de mim - meus joelhos enfraquecem e me sento. 

Ele tentou me proteger (...) e não apenas eu fracassei em protegê-lo como também cuidei para que horrores ainda maiores o atingissem.

Por um momento uma dor muito real aparece estampada no rosto dele. Em seguida a raiva fria a substitui. Ele se vira e vai embora. Talvez eu tenha sido rancorosa demais, não tenha dado há ele tempo suficiente para se explicar. Talvez todos estejam apenas tentando me proteger ao mentirem para mim. Eu não ligo.  Não aguento mais as pessoas mentindo para o meu próprio bem. Porque, na realidade, elas fazem isso pelo bem delas próprias.

O que está acontecendo conosco? Por que agora estamos constantemente em conflito? Está tudo muito confuso, mas de certa forma sinto que se voltasse à raiz dos nossos problemas, minhas ações apareceriam no centro deles. Será que quero mesmo afastá-lo de mim?


Até parece que sirvo de exemplo para alguém. Ah, quem se importa? Todos pensam que sou maluca mesmo.

“Eles não podem me fazer nenhum mal. Não sou como vocês. Não há mais ninguém no mundo que eu ame.”
      O que vai me quebrar?                                                                                                                                (...) O que vai me quebrar em um milhão de pedacinhos de modo que eu fique além de qualquer possibilidade de utilização? Não menciono isso a ninguém, mas a questão devora minhas horas de vigília e se enreda por meus pesadelos.

- Como é que você suporta? 
–Eu não suporto Katniss! Eu obviamente não suporto. Eu me arrasto dos pesadelos todas as manhãs e descubro que não há nenhum alivio em estar acordado. É melhor não ceder a isso. É dez vezes mais demorado se recuperar da crise do que entrar nela.

Não consigo mais ficar aqui. Precisam me levar para longe daqui. – Katniss

Apesar do que sinto por Peeta, é nesse momento que aceito no fundo do meu coração que ele jamais voltará para mim. Ou que eu jamais voltarei para ele. (...) Morrerei pela encrenca em que me meti. E ele morrerá insano e me odiando.

Sei que ele estava desesperado. Isso faz as pessoas cometerem todo tipo de loucura. – Gale

Gostaria muito que Peeta estivesse aqui. (...) Será que é minha própria história que está me deixando tão sensível? Por acaso não estamos em guerra? 

- Ótimo. A gente sabe como discordar um do outro – diz ele – A gente sempre soube. De repente, isso é uma boa.

Estou fazendo tudo errado. Não sei por que estou tão na defensiva. O que há de errado comigo? – Katniss

Finalmente ele está conseguindo me ver como eu realmente sou. Violenta. Não confiável. Manipuladora. Mortífera.                                                                                                                                           
E eu o odeio por isso.

 Não tenho como afirmar que somos efetivamente “amigas”, mas possivelmente a palavra “aliadas” se encaixaria muito bem. Isso é bom. Vou precisar de uma aliada.

- O problema é que não consigo mais dizer o que é real e o que é inventado.


-Em quem posso confiar?
-Bem, em nós, para começo de conversa.

Com pouquíssimo esforço, minha vida rapidamente se transforma em um pesadelo morfináceo. Quero de um momento para outro contar tudo para Peeta a respeito de quem ele é, e de quem sou eu, e de como acabamos aqui. Mas não sei como começar. Inútil. Sou uma inútil.

Não confie neles. Não recue. Faça o que você veio fazer. - Boggs

Irônico, incentivador, um pouquinho engraçado, mas não à custa de ninguém.

- E se eu conseguisse criar asas, poderia voar. Só que as pessoas não conseguem criar asas –diz ele – Verdadeiro ou falso?                                                                                                                                   – Verdadeiro – digo. – Mas as pessoas não precisam de asas para sobreviver.

- Você ainda está tentando me proteger. Verdadeiro ou falso? – sussurra ele. 
–Verdadeiro – respondo. A resposta parece requerer mais explicações. – Porque é isso que você e eu fazemos. Protegemos um ao outro. 

- Não deixe que ele o tire de mim.
- Não. Eu não quero...
-Fique comigo.
- Sempre - murmura ele.

Eu ainda estou cheia de ódio. Quando a energia que o motiva diminuir, ficarei impraticável.

Você era o motivo de eu estar viva. – Katniss.

Eu sei que isso aconteceu e, no entanto, não parece real.

Eu acho... que você ainda não faz a menor ideia do efeito que exerce. – Peeta.

Não sei por que a voz dele me alcança quando nenhuma outra consegue.

Lágrimas fazem meus olhos arderem. (...) Esse era meu trabalho. Essa era nossa promessa tácita, de todos nós, uns com os outros. (...) As rachaduras começam a se abrir dentro de mim, ameaçando me partir em pedaços.

Um dia eu acordo, seguindo todas as expectativas, e sei que não terei permissão de viver em meu mundo de sonhos.

Desprovida de trabalho, o pesar me sufoca.

Recuso-me a acreditar que isso seja verdade. Há coisas as quais é impossível sobreviver.

Eu preciso aguentar. Preciso saber a verdade sobre o que aconteceu.

Por que não estou morta? Seria melhor para todo mundo se eu estivesse morta...

Não tenho mais nenhum compromisso com aqueles monstros chamados seres humanos. Eu mesma me desprezo por fazer parte deles.

Mas no fim a quem isso tudo beneficia? A ninguém. A verdade é que viver num mundo onde esse tipo de coisa acontece não traz beneficio a ninguém.



sábado, 14 de dezembro de 2013

Resenha: A culpa é das estrelas



Eu não sei muito bem por onde começar a falar desse livro e de sua história. É que eu ganhei ele de aniversário e, ele é muito importante para mim.
O que eu posso dizer é que quando eu comecei a ler, ele já tinha virado modinha e eu tinha uma noção de quem ia morrer e tal, mas mesmo assim, quando eu cheguei no fim, estava transbordando em lágrimas. 
Acho que esse foi o único livro que me deixou assim: emocionada mesmo sabendo o que ia acontecer. Além disso, eu acho importante também escrever isso, tinha momentos no livro que eu me pegava rindo e chorando ao mesmo tempo. (Eu agradeço o fato de que eu li meio isolada da minha mãe por isso).  
A história é sobre a Hazel, uma paciente de câncer na traqueia e do Gus, que teve uma osteossarcoma. Os dois se conhecem no grupo de apoio da Igreja. Gosto de pensar que tudo começou quando a Hazel explicou para ele que ser esquecido, seu maior medo, era inútil.
Os dois ensinaram muitas lições um para o outro. E consequentemente me ensinaram lições também, como que alguns infinitos são maiores que outros, que as pessoas sempre se preocupam em deixar marcas, mas na verdade deixam cicatrizes, que o que você vê pode não ser o que parece e que o mundo não é uma máquina de realizações de desejos.
Por isso, eu recomendo totalmente. Se você ainda não leu, leia e tire suas próprias lições com o Gus e a Hazel. Você não vai se arrepender.


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Citações: Shakespeare

"Devemos aceitar o que é impossível deixar de acontecer"
As alegres comadres de Windsor

"Melhor assim: saber que é desprezado do que selo sob a capa da lisonja." 
O Rei Lear

"Ò fútil ambição, que destrói as próprias fontes de tua vida."
Macbeth 

"Forçai-o com elogios. Mais água!Mais água! Sua ambição está seca."
Tróilo e Cressilda

"A verdadeira substância da ambição é a sombra de um sonho." 
Hamlet

"Chorar velhos amigos que perdemos não é tão proveitoso e saudável como nos alegrar-mos pelas novas aquisições de amigos."
Trabalhos de amor perdidos

"Sempre que a amizade adoece (...) lança mão de fórmulas forçadas."
Hamlet

" O amigo comprovado, prende-o  firme no coração com vínculos de ferro, mas a mão não calejes com saudares a todo instante amigos novos."
Hamlet

"É preferível não ter amigos do que os ter mais nocivos que inimigos."
Timão de Atenas

" Ninguém sabe onde tem um amigo."
A Tempestade

"Por ventura tem amizade um coração tão fraco, que numa noite ou pouco mais se muda?"

"Amar é ser vencida a razão pela tolice."
Os dois cavalheiros de Verona

"Menos ama quem só fala de amor."

A Abadia de Northanger


"Considerado o mais ligeiro e divertido livro de Jane Austen, A Abadia de Northanger conta a história da adorável Catherine Morland, jovem fascinada por romances góticos e possuidora de vivída imaginação. Em meio aos passeios e bailes da sofisticada sociedade de Bath (onde se depara com coqueteria, insinceridade, vaidades e intrigas) e à estada na Abadia de Northanger (onde se depara com os perigos de se deixar arrebatar pela imaginação), esta ingênua e íntegra heroína encontra o amor, bem como passa a conhecer melhor a natureza humana."
Editora Martin Claret

Eu amei esse livro! Sempre gostei dos clássicos, e adoro os livros da Jane Austen: já li Orgulho e Preconceito, Razão e Sensibilidade e Persuasão, mas acredito que foi nesse livro que eu mais me identifiquei. Sabe aquela sensação de ver que a personagem está vivendo tudo o que você viveu ou algo assim? Então, foi exatamente isso que aconteceu comigo e com a personagem Catherine Morland ( só que em cenários diferentes, épocas também, e eu nunca fui pedida em casamento hahaha).
Catherine Morland é uma jovem que viveu sua infância em um pequeno lugarejo em Wiltshire. Nunca foi bonita quando criança, tinha dez irmãos e odiava livros de histórias. Romance, mistério e suspense? Com certeza. Ações passadas? Não, muito obrigada. Ela não tinha jeito para costura e música. Entretanto tinha um bom temperamento.
Já aos 15 anos Catherine começou a si preocupar mais com sua aparência, e deixou de lado seu amor a sujeira buscando andar com elegância e adquirir mais sabedoria. Com isso, Catherine começou a "parecer quase bonita", como diziam seu pai e mãe. Dos quinze aos dezessete ela
"esteve em treinamento para heroína; lia todos aqueles livros que as heroínas devem ler para abastecerem a memória com aquelas citações tão úteis e tão reconfortantes nas vicissitudes de sua agitada vida.
De Pope, a ela aprendeu a censurar quem
"dá voz ao escárnio da dor."
De Gray, que
"Muitas flores nasceram para desabrochar sem ser vistas,
E desperdiçar sua fragrância no ar deserto."
De Thompson, que
"Deliciosa tarefa é
Ensinar a jovem ideia a despontar."
 E de Shakespeare obteve grande quantidade de informações, dentre as quais, que
"Bobagens leves como o ar,
São para o ciumento confirmação tão robusta,
Quanto provas das Sagradas Escrituras."
Que
"O pobre besouro que pisamos,
Em sofrimento corporal sente dor tão grande
   Como a do gigante a morrer."
E que um jovem apaixonado sempre se parece
"com a Paciência que, sobre um monumento, sorri para dor."
Sua aventura começou, entretanto, quando embarcou em uma viagem com seus vizinhos muito amigos de sua mãe, para Bath, uma sociedade elegante, onde o ponto de vista das pessoas sobre sua pessoa, era algo de grande valor. Catherine entretanto era ingênua, mas conquistou as pessoas sendo apenas ela mesma.
O livro daí em diante vai narrar seu primeiro amor e a separação do mesmo (não vou dizer se eles vão ficar juntos ou não), suas amizades falsas e verdadeiras e imaginação fértil.
Recomendo muito, é um ótimo livro! 

"Por que não aproveitar o prazer de uma vez?
Quão frequentemente a felicidade é destruída por tolos preparativos"
-Jane Austen